Pular para o conteúdo principal

Laboratório da UFRN investe em robótica educativa e ganha competição que vai beneficiar escolas da África.


Por Juliana Holanda
África: o continente que será beneficiado por um projeto de robótica educativa desenvolvido por pesquisadores do Laboratório NatalNet da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

A equipe foi uma das vencedoras de uma competição internacional para construção de robôs educacionais com custo aproximado de U$ 10 (dez dólares), que serão usados para popularizar a tecnologia em escolas do continente africano.

Organizada pela Rede Africana de Robótica (AFRON, na sigla em inglês), o evento contou com a participação de importantes instituições estrangeiras, como a Universidade de Harvard, o Instituto de Tecnologia de Massachusetts e a Universidade da Califórnia, em Berkeley.

O robô premiado foi construído pelo professor do Instituto Metrópole Digital da UFRN Rafael Vidal Aroca, como parte de seu doutorado. “É muito gratificante saber que nosso trabalho pode aumentar o interesse dos jovens africanos pela ciência e, quem sabe, até motivá-los a trabalhar na área”, afirma.

Batizada de N-Bot, a estrutura hoje faz parte do acervo da AFRON e recentemente foi exibida em uma exposição no Museu de Tecnologia da Universidade da Califórnia, em Berkeley, juntamente com outros vencedores da competição.

O N-Bot é tão simples que pode ser construído por qualquer pessoa. “As crianças não terão problema em montar o aparelho. Isso irá auxiliá-los em outras disciplinas escolares, que podem se tornar mais atraentes para os estudantes com o uso da robótica”, conta Rafael Aroca.

O robô é comandado por sons. “Qualquer computador ou celular pode controlar o N-Bot. O que importa é a frequência de som que chega ao circuito do robô. Um simples apertar de tecla e o aparelho se move”, explica o professor.
Durante o doutorado em robótica educativa, Aroca fez uma pesquisa envolvendo mais de duzentos estudantes de seis universidades brasileiras. “Noventa e dois porcento dos entrevistados disseram que gastariam até R$ 50 para comprar seu próprio robô e 70% afirmaram que as disciplinas escolares seriam mais interessantes se fossem estudadas no contexto de robótica”, relata.
Foto
Robô é comandado por sons. “Qualquer computador ou celular pode controlar o N-Bot. O que importa é a frequência de som que chega ao circuito do robô. Um simples apertar de tecla e o aparelho se move”, explica Rafael Aroca 
A popularização da tecnologia tem como objetivo aumentar o interesse dos jovens de todo o mundo pelo tema. “O setor tecnológico é prioritário para o crescimento de um país. A robótica precisa ser divulgada em toda parte, principalmente em países em desenvolvimento, como é o caso da maioria das nações africanas”, diz o pesquisador.

Para o professor da Escola de Ciências e Tecnologia da UFRN Aquiles Medeiros Filgueira Burlamaqui, um dos criadores do N-Bot, a robótica só vai crescer quando a tecnologia estiver sendo ensinada na base do sistema educacional. “O grande problema é a carência de profissionais no Brasil e no mundo. Até 2020, a robótica vai ser uma das áreas de pesquisa mais importantes do mundo e o número de profissionais precisa aumentar”, comenta.

Segundo o coordenador do NatalNet, Luiz Marcos Garcia Gonçalves, o laboratório investe em difusão científica há mais de uma década. O objetivo principal é exportar a tecnologia desenvolvida na UFRN, ajudando a quem tem interesse mas não tem condições de investir em hardwares de alto custo. “O prêmio é um reconhecimento de que estamos no caminho certo. O que fazemos aqui é visto como inovação não apenas no Brasil, mas em todo o mundo”, analisa.

Saiba mais sobre o N-Bot: http://www.natalnet.br/~aroca/afron/
 

                                                             Anastácia Vaz
Foto
Equipe do Laboratório NaltaNet: Luiz Marcos Garcia Gonçalves (esquerda), Rafael Vidal Aroca (centro) e Aquiles Medeiros Filgueira Burlamaqui (direita) mostra robôs produzidos na UFRN.

Fonte: UFRN.br

Postagens mais visitadas deste blog

Ata de Homologação de candidatura da chapa "TODA LUTA"

Edital da Eleição para o Diretório Central dos Estudantes José Silton Pinheiro

Universidade Federal do Rio Grande do Norte Diretório Central dos Estudantes da UFRN – José Silton Pinheiro Comissão Eleitoral
EDITAL
A Comissão Eleitoral, autônoma, eleita em CEB, convocado e realizado no Diretório Central dos Estudantes – (DCE UFRN), realizado no último dia quatro de abril de dois mil e dezessete, no uso de suas atribuições legais e prerrogativas outorgadas em CEB, RESOLVE:
Capítulo I: Da Comissão Eleitoral, sua composição e competências
Art. 1º - Informar da sua composição eleita em CEB supracitado:
I.Rafael Leite da Silva Bune (Pedagogia); II.Gustavo Rodrigues da Costa (Gestão de Políticas Públicas); III.Paula Lays de Lima e Silva (Direito);

HOMOLOGAÇÃO CHAPAS DE DELEGADOS AO 55 CONUNE

A Comissão Eleitoral para o processo de eleição dos e das delegados/das da UFRN ao 55º CONUNE, devidamente instituída pela Coordenação desta entidade, faz saber as chapas homologadas para o processo de campanha. Sendo elas:

CHAPA 1 - "ENFRENTE"
CHAPA 2 - "OCUPAR E RECONQUISTAR A UNE"
CHAPA 3 - "VAI LUTAR OU VAI TEMER?"

     Vale salientar que devido ao grande volume de inscritos para cada chapa, esta Comissão está compilando todos os nomes homologados de cada chapa, estes serão publicizados nesta sexta-feira(26/05/2017).
     Sem mais para o momento, autorizamos o início da campanha eleitoral conforme o Edital deste processo.


COMISSÃO ELEITORAL - DCE UFRN - 55º CONUNE