Pular para o conteúdo principal

O que nos mobiliza no #BoicoteACantina

Por Ramon Alves
(Gestão de Políticas Públicas-UFRN)

Começou nesta semana, organizado pelos Centros Acadêmicos de Letras, Gestão de Políticas Públicas, Comunicação Social, Filosofia, Psicologia e Geografia, a campanha de boicote à cantina do Setor II, que consiste, além da realização do próprio boicote, em mobilização pelas redes sociais, distribuição de panfletos e adesivos e venda de lanches a preço de custo. Por si só, pelo que simboliza enquanto capacidade de iniciativa e organização, e por pautar um tema que é do interesse geral dos estudantes, essa campanha carrega um mérito extraordinário.

Não é um fato recorrente na universidade que tantos Centros Acadêmicos se unam para debater um tema de interesse comum, que se organizem e dediquem seu tempo para tanto. Não é, também, um movimento de iluminados levando a verdade para o conjunto da universidade, mas de representantes estudantis sensibilizados com uma sucessão de reclamações e questionamentos quanto ao tratamento da responsável pela cantina, ao preço e aos produtos oferecidos por ela. É desnecessária alguma habilidade especial para compreender a rejeição que a lanchonete possui entre os estudantes. 

Não é, sobretudo, opiniões individuais que, isoladamente, legitimam ou deslegitimam a luta. Alguns dirão "ela me trata super bem", mas há outros que não dizem isso, dizem o contrário. O respeito ao estudante não pode ser resultado de um sorteio ou de clima momentâneo, deve ser a regra.

Há os que criticam o movimento por ele tratar de uma questão tão específica quanto a cantina, como se nós devêssemos apenas debater e reivindicar questões como a crise financeira global, a qualidade dos empregos no Brasil e a expansão da universidade, ignorando a dialética presente entre as questões micro e as macro.

Está presente também, em uma rara crítica ao movimento, a ideia da "esquerda medíocre", dos "fins meramente pessoais e partidários", expressões que só podem ser desenvolvidas por quem não viu o movimento surgir, desde as redes sociais até o momento em que os CA's tomaram posição e definiram ações para encarar o problema. Há também uma defesa vazia do trabalho pelo trabalho, mesmo sendo ele precário e mesmo sendo a trabalhadora submetida a uma grau de relação trabalhista que afronta a sua condição humana.

O centro da luta política é a redução dos custos da cantina, por meio da revisão do contrato de utilização do espaço onde essa funciona, como também que se ofereça uma diversidade de lanches, garantindo opções saudáveis e com menor preço. Auxilia e reforça o movimento a questão do tratamento às pessoas, resolução que não se baliza pela opinião individual isolada, mas por várias opiniões que corroboram nessa linha. Por outro lado, buscaremos que estudantes, cantina e Pró-Reitoria de Administração possam sentar-se à mesa e construir uma saída para essa insatisfação.

Os Centros Acadêmicos estão de parabéns e o reflexo disso é a participação dos estudantes, a forte adesão ao movimento e a busca de colegas de outros setores para que o movimento #BoicoteACantina possa questionar o funcionamento das suas lanchonetes. É nesse clima positivo que nesta sexta fecharemos uma semana de muitas vitórias e com o setor II elevando seu capital social, orgulhando pela sua energia e vitalidade.

Postagens mais visitadas deste blog

Ata de Homologação de candidatura da chapa "TODA LUTA"

Edital da Eleição para o Diretório Central dos Estudantes José Silton Pinheiro

Universidade Federal do Rio Grande do Norte Diretório Central dos Estudantes da UFRN – José Silton Pinheiro Comissão Eleitoral
EDITAL
A Comissão Eleitoral, autônoma, eleita em CEB, convocado e realizado no Diretório Central dos Estudantes – (DCE UFRN), realizado no último dia quatro de abril de dois mil e dezessete, no uso de suas atribuições legais e prerrogativas outorgadas em CEB, RESOLVE:
Capítulo I: Da Comissão Eleitoral, sua composição e competências
Art. 1º - Informar da sua composição eleita em CEB supracitado:
I.Rafael Leite da Silva Bune (Pedagogia); II.Gustavo Rodrigues da Costa (Gestão de Políticas Públicas); III.Paula Lays de Lima e Silva (Direito);

HOMOLOGAÇÃO CHAPAS DE DELEGADOS AO 55 CONUNE

A Comissão Eleitoral para o processo de eleição dos e das delegados/das da UFRN ao 55º CONUNE, devidamente instituída pela Coordenação desta entidade, faz saber as chapas homologadas para o processo de campanha. Sendo elas:

CHAPA 1 - "ENFRENTE"
CHAPA 2 - "OCUPAR E RECONQUISTAR A UNE"
CHAPA 3 - "VAI LUTAR OU VAI TEMER?"

     Vale salientar que devido ao grande volume de inscritos para cada chapa, esta Comissão está compilando todos os nomes homologados de cada chapa, estes serão publicizados nesta sexta-feira(26/05/2017).
     Sem mais para o momento, autorizamos o início da campanha eleitoral conforme o Edital deste processo.


COMISSÃO ELEITORAL - DCE UFRN - 55º CONUNE