terça-feira, 12 de março de 2013

Militantes repercutem reportagem do blogueiro Daniel Dantas

A #RevoltadoBusao sacudiu a cidade no 2º semestre de 2012
A semana começou turbulenta para o movimento social da cidade. A reportagem divulgada pelo blog do Daniel Dantas, de que os militantes do movimento #RevoltaDoBusao estariam sendo monitorados pela Polícia Civil do RN, ganhou as redes sociais locais e nacionais, que questionam a volta dos métodos aplicados pela Ditadura Militar, quando a militância política era, por si só, motivo de investigação e fichamento nos órgãos policiais.

Até mesmo um grupo de extensão foi alvo de monitoramento, o Lições de Cidadania da UFRN. Lideranças estudantis da universidade, como a Coordenadora Geral do DCE, Danyelle Guedes, e o Vice Regional da UNE, Ramon Alves, também estão na lista divulgada. O próprio autor da denúncia, Daniel Dantas, é um dos citados. O grupo recebeu imediata manifestação de solidariedade de outros militantes, colegas e mesmo de desconhecidos.

Segundo o diretor da União Nacional dos Estudantes, Ramon, o alvo escolhido deveria ser outro: a governadora. "Ela sim é merecedora de uma investigação para que saibamos por que o governo não conclui a UERN Zona Norte e não constitui a rede de escolas técnicas, mas tem agilidade para indicar um parente de correligionário para desembargador do TJ". Para ele, "não há surpresa quanto à lista pois o governo já mostrou em momentos anteriores que tem DNA autoritário, mas essa postura não deve ser vista como natural e merece o repúdio da sociedade, pela sua essência".

"Sinto-me violado"

Esse é o sentimento do militante dos movimentos sociais, Dayvson Moura. Ele afirmou que a divulgação da reportagem envolvendo seu nome "não é, senão, resultado do patrulhamento ideológico e o uso da máquina pública para coação daqueles que fazem oposição ao governo Rosalba". Dayvson considera que não há "coincidência de que os nomes listados possuam posicionamento contra a situação e o tratamento toma relação às suas responsabilidades". Ele conclui dizendo que "minha intimidade, meu nome, minha honra, minha luta, minha família, meus amigos... tudo foi vítima de uso incorreto da inteligência do Estado que mal consegue resolver os problemas  criminais e agora, se detém a procurar crimes de opinião em internet".

Estudante da UniRN questiona o monitoramento da Polícia Civil

Renato Pontes é estudante de graduação do curso de Direito da UNI-RN e está no topo da lista que identifica nome e perfis do facebook no papel timbrado da Polícia Civil. Para ele, "ficou claro que a Polícia está monitorando os militantes sociais não só nas redes, mas também nas próprias manifestações". O militante destacou que "o pedido de quebra do sigilo dos investigados #RevoltadoBusão foi o ápice desse monitoramento, com tentativa de respaldo judicial". Renato considera que o governo do DEM comete "mais uma tentativa de criminalizar as manifestações populares".

Blogueiro questiona autoritarismo do governo

O blogueiro Daniel Dantas Lemos, autor das denúncias em seu blog, afirmou: "Quarenta anos atrás meu pai, Rubens Lemos, era um procurado - fichado pelo DOPS e depois torturado no DOI-CODI - porque fez a opção de lutar contra a ditadura de arma em punho. Somos investigados hoje porque usamos como arma nossas idéias, palavras, blogs. Porque protegemos os companheiros transmitindo os atos por twitcam para refrear os abusos repressivos. Um absurdo do arremedo de democracia autoritária que o governo do DEM implantou no RN desde o instante que proibiu manifestações populares no Centro Administrativo".