quinta-feira, 28 de março de 2013

Juventude vai às ruas de Natal por mais direitos

Em todo o Brasil, a juventude está indo às ruas lutar por mais direitos e por mudanças estruturais. A Jornada de Lutas da Juventude, organizada por dezenas de organizações juvenis e entidades do movimento social, tem como mote uma série de reformas capazes de democratizar a política, a educação, o campo, a comunicação e, dentre outros, combater todas as formas de preconceito e discriminação.

Em Natal, a Jornada de Lutas, organizada, dentre outros, pelo DCE|UFRN, saiu em caminhada da Unidade Sede do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia (IFRN), rumo à UFRN, onde foi finalizada com uma programação cultural recheada de artistas locais. Durante o trajeto até a universidade, os jovens foram apresentando suas pautas locais e nacionais.

Segundo André Cavalcante, Coordenador de Movimentos Sociais do DCE, "estamos na Jornada de Lutas contra o extermínio da juventude, a favor do pré-sal para a educação e pela ampliação de direitos. É dia de ir às ruas".

Os problemas vivenciados pela Universidade Estadual do RN (UERN) e as estatísticas que apontam para o aumento da criminalidade envolvendo os jovens em todo o Estado também foram lembrados. Para o presidente da UMES Natal, Whanderley Costa, "o governo estadual não vê a juventude como prioridade, embora sejamos um segmento estratégico para um projeto que leve em contas as potencialidades do nosso desenvolvimento. Como o poder público estadual é omisso, vê o agravamento da violência, da ausência de perspectivas porque não se investe em lazer, em escolas técnicas, em trabalho digno".

Pelas redes sociais, estão sendo divulgadas diversas imagens dos protestos que já aconteceram nas capitais e os que virão. Acesse a fã page da Jornada Nacional de Lutas da Juventude Brasileira.

No RN, o movimento foi organizado pela União da Juventude Socialista (UJS), a Juventude do Partido dos Trabalhadores (JPT), Levante Popular de Juventude, União Nacional dos Estudantes (UNE), União Brasileira dos Estudantes Secundaristas (UBES), Movimento dos Sem Terra (MST), pela Central Única dos Trabalhadores (CUT), Associação Potiguar dos Estudantes Secundaristas (APES), União Metropolitana dos Estudantes Secundaristas (UMES), Pastoral da Juventude, Centro de Referência dos Direitos Humanos (CDRH), Federação dos Trabalhadores na Agricultura Familiar (FETRAF), Central dos Trabalhadores e das Trabalhadoras do Brasil (CTB), União da Juventude Rebelião (UJR) e os mandatos do vereador George Câmara (PCdoB) e Hugo Manso (PT), de Natal, Odon Jr, de Currais Novos, do deputado estadual Fernando Mineiro (PT) e da deputada federal, Fátima Bezerra.