segunda-feira, 11 de março de 2013

CA's do Setor II encaminham mobilização sobre a cantina

Reunião na sala do Centro Acadêmico de GPP
Reuniram-se hoje (11) na sala do Centro Acadêmico de Gestão de Políticas Públicas, os Centros Acadêmicos de Letras, Psicologia, Comunicação Social, GPP e Filosofia, para discussão sobre ações conjuntas no sentido de atender às reivindicações dos estudantes do Setor II sobre os problemas enfrentados em relação à cantina. Estiveram presentes também, representando o DCE, os coordenadores gerais Júlio Balisa e Danyelle Guedes.

Coordenadores do DCE e dos Centros Acadêmicos do Setor II estiveram presentes
Após discussão entre os presentes, apurou-se trabalhar em duas frentes: a primeira, em relação à cantina, promover atividade de boicote questionando o tratamento dispensado aos estudantes pelo estabelecimento e a ausência de diversidade dos alimentos oferecidos. A segunda, em relação à Pro-Reitoria de Administração, entregar um abaixo-assinado a ser colhido durante o boicote, reivindicando mudanças no contrato para que o estabelecimento possa fornecer alimentos a preços inferiores.

Para o Coordenador Geral do DCE e estudante de Letras, Júlio Balisa, a reunião foi proveitosa. "Reunimos uma expressiva quantidade de Centros Acadêmicos e a sensação de todos nós é a mesma: a de que é preciso mobilizar o Setor II em uma grande e envolvente campanha. A cada dia que passa, são novas e mais intensas reclamações e precisamos responder a essa insatisfação", afirmou Júlio.

A próxima reunião do movimento será na quinta-feira, quando serão definidos os materiais que darão o tom da campanha de boicote e abaixo-assinado. O Coordenador de Finanças do CAGPP, Thiago Lima, ressaltou o clima de unidade e politização. "Faremos uma campanha organizada e objetiva. Queremos resultados e o compromisso de ambos os lados - universidade e cantina - de que este espaço será, de fato, usado para atender os nossos anseios, o que não acontece hoje, nem sob a ótica do espaço físico, nem da alimentação e nem do tratamento que merecemos que seja respeitoso", concluiu.

Da Redação