Pular para o conteúdo principal

Ato em São Paulo reivindica políticas públicas voltadas para a cultura

Brasil de Fato 28/03/2012
Jade Percassi
De São Paulo (SP)

Artistas leram carta-denúncia em frente
ao Teatro Municipal - Foto: André Mürrer
Nesta terça-feira (27), Dia internacional do Teatro e Dia Nacional do Circo, cerca de 50 coletivos artísticos componentes do movimento de teatro de grupos de São Paulo realizaram um ato em frente ao Teatro Municipal de São Paulo.  A manifestação, de caráter festivo, buscou denunciar o descaso das políticas públicas para a cultura, especialmente em âmbito nacional.

A Secretaria Municipal de Cultura havia organizado uma celebração ao Dia Nacional do Circo no Teatro Municipal, com apresentações circenses e homenagem a Abelardo Pinto, o Piolin. Após a “Palhasseata” pelo arredores, palhaços e companhias circenses convidadas foram para o Café do Municipal, onde estava presente o secretário municipal da cultura, Carlos Augusto Machado Calil. Nesse momento, o “Coro de Nus” formado por uma banda e atores e atrizes (com figurino de placas com reivindicações) tentaram em vão entrar para ler seu manifesto e entregá-lo ao secretário.

A carta denúncia, lida nas escadarias do teatro, reunia questões referentes às políticas públicas voltadas para a cultura nas três esferas de governo (municipal, estadual e federal), cobrando a continuidade de políticas e programas estruturantes para uma arte pública que permitam à categoria efetivamente se organizar, e lembrando os mortos dessa luta.  (leia a carta na íntegra)


Três enormes alegorias, representando a ministra Ana de Hollanda, o secretário estadual de cultura Andrea Matarazzo e o secretário municipal de cultura, Carlos Calil, foram então submetidos ao ritual popular de malhação de Judas, acompanhado por batucada com entusiasmo pelos transeuntes. Um “Coro de Fúrias” finalizou o rito ateando fogo aos bonecos, sob uma chuva de aplausos e gritos de apoio do público. Os manifestantes seguiram por fim em cortejo até o Studio 184, na praça Roosevelt, onde se reuniram para avaliar a importância da mobilização. Muitas das cerca de 300 pessoas que participaram do ato estiveram presentes durante a ocupação da Funarte, em julho de 2011.

“Todos os anos, nos mobilizamos e nos desmobilizamos muitas vezes enquanto movimento, mas chegamos finalmente à conclusão de que esta nossa articulação só se consolida com a luta; nossas pautas continuam atuais e vamos continuar lutando” afirma Osvaldo Pinheiro, da Cia Estável.

Postagens mais visitadas deste blog

Ata de Homologação de candidatura da chapa "TODA LUTA"

Edital da Eleição para o Diretório Central dos Estudantes José Silton Pinheiro

Universidade Federal do Rio Grande do Norte Diretório Central dos Estudantes da UFRN – José Silton Pinheiro Comissão Eleitoral
EDITAL
A Comissão Eleitoral, autônoma, eleita em CEB, convocado e realizado no Diretório Central dos Estudantes – (DCE UFRN), realizado no último dia quatro de abril de dois mil e dezessete, no uso de suas atribuições legais e prerrogativas outorgadas em CEB, RESOLVE:
Capítulo I: Da Comissão Eleitoral, sua composição e competências
Art. 1º - Informar da sua composição eleita em CEB supracitado:
I.Rafael Leite da Silva Bune (Pedagogia); II.Gustavo Rodrigues da Costa (Gestão de Políticas Públicas); III.Paula Lays de Lima e Silva (Direito);

HOMOLOGAÇÃO CHAPAS DE DELEGADOS AO 55 CONUNE

A Comissão Eleitoral para o processo de eleição dos e das delegados/das da UFRN ao 55º CONUNE, devidamente instituída pela Coordenação desta entidade, faz saber as chapas homologadas para o processo de campanha. Sendo elas:

CHAPA 1 - "ENFRENTE"
CHAPA 2 - "OCUPAR E RECONQUISTAR A UNE"
CHAPA 3 - "VAI LUTAR OU VAI TEMER?"

     Vale salientar que devido ao grande volume de inscritos para cada chapa, esta Comissão está compilando todos os nomes homologados de cada chapa, estes serão publicizados nesta sexta-feira(26/05/2017).
     Sem mais para o momento, autorizamos o início da campanha eleitoral conforme o Edital deste processo.


COMISSÃO ELEITORAL - DCE UFRN - 55º CONUNE