segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Bicicletada nacional no Brasil para a Rio+20

Com o objetivo de unir grupos de ciclistas de todos os estados em um ponto de encontro único formando a Massa Crítica brasileira rumo a conferência mundial da ONU sobre Desenvolvimento Sustentável conhecida como RIO+20 (que acontecerá no Rio de Janeiro de 20 a 22 de Junho de 2012), composta por ciclistas de todas as regiões do País, representando todos os brasileiros que acreditam na humanização das cidades, na mobilidade urbana sustentável, no transporte sustentável, no respeito às leis do trânsito e na bicicleta como veículo modal. Além disto, o evento pretende chamar atenção dos chefes de estado, da grande mídia e dos cidadãos em geral para a necessidade de políticas públicas que incentivem os transportes alternativos ao automóvel individual, principalmente a bicicleta. A iniciativa pretende, de forma pacífica mas contestadora, demonstrar que formas de transporte alternativo verdes e saudáveis, além de necessárias, são possíveis. Até mesmo em países de extensões continentais como é o caso do território brasileiro.

Objetivo específico:

Estimular o deslocamento de comitivas de pessoas que partindo de diversos pontos do território nacional tenham como destino o evento Rio + 20, utilizando como meio de transporte a bicicleta, ou qualquer outro veículo movido a propulsão humana ou com fonte limpa de energia. Desta forma, espera-se mostrar, através da bicicleta, que as cidades de hoje não tem mais condições de ser, e que é preciso uma mudança do pensamento arquitetônico-urbanístico para um melhor convívio social e, urgentemente, a melhoria da qualidade de locomoção nas cidades. Por fim, a BICICLETADA NACIONAL também mostrará que a bicicleta promove um transporte cultural, onde o ciclista está em contato com o que está ao nosso redor, ao contrário da cultura do automóvel onde cada um se isola no seu universo fechado.

Justificativa:

Tendo em vista a aproximação do evento Rio + 20, cujo tema em 2012 será o desenvolvimento sustentável e o meio ambiente, e sabendo que o Brasil está se posicionando voluntariamente ante os acordos vigentes de redução de emissões de CO2, o projeto chamado “BICICLETADA NACIONAL” vem estimular a formação de pelotões de ciclistas que partirão de cada Estado e do Distrito Federal para o evento Rio + 20, utilizando como meio de transporte a bicicleta, e outros veículos movido a propulsão humana ou com fonte limpa de energia, ajudando desta forma a divulgar meios de transportes limpos e sustentáveis no meio urbano que contribuam para a redução de CO2.

O uso da bicicleta como meio de transporte populariza-se mais e mais a cada dia ao redor do planeta. Desta forma ela deixa de ser vista como um simples objeto de lazer e esporte e passa a compor a paisagem da cidade, o dia a dia das pessoas, como um veículo eficiente e sustentável.

A Prefeitura da cidade do Rio de Janeiro lançou o Programa Rio Capital da Bicicleta e tem investido muito ao longo dos últimos anos para promover a bicicleta como meio de transporte e hoje possui 235 km* de malha cicloviária. Em Setembro realizou o 1°Bicirio – Fórum Internacional de Mobilidade por Bicicleta – evento com duração de 3 dias e intensa troca de experiências entre Gestores Públicos, Acadêmicos e Sociedade Civil. Em agosto de 2011, reativou o sistema de bicicletas públicas SAMBA – Solução Alternativa para a Mobilidade por Bicicletas de Aluguel, sinalizando o interesse em promover a bicicleta como meio de transporte seguro, confortável e ecológico, com alívio de custos em saúde coletiva.

O Governo Federal também demonstra interesse pela busca de soluções e começa a desenvolver o Programa Caminho da Escola – Transporte Escolar por Bicicletas, que tem como objetivo disponibilizar bicicletas para que os jovens possam frequentar as aulas com saúde, segurança e conforto.

O Governador do Distrito Federal, anunciou em novembro de 2011, a liberação de um valor de R$ 122 Milhões para o Sistema Cicloviário da região. Outras cidades como São Paulo e Belo Horizonte começam a tirar alguns projetos dos papéis e já investem em sistemas cicloviários como opção de transporte diário, principalmente para distâncias curtas. E a resposta da população é imediata e se faz evidente pelo visível aumento do número de ciclistas nas grandes cidades, descobrindo uma nova opção ao caos dos engarrafamentos diários e intermináveis.

O conceito de trânsito contido no CTB – Código de Trânsito Brasileiro nos diz que:

“Art. 1°: O trânsito de qualquer natureza nas vias terrestres do território nacional, abertas à circulação, rege‑se por este Código.

§ 1°: Considera‑se trânsito a utilização das vias por pessoas, veículos e animais, isolados ou em grupos, conduzidos ou não, para fins de circulação, parada, estacionamento e operação de carga ou descarga.

§ 2°: O trânsito, em condições seguras, é um direito de todos e dever dos órgãos e entidades componentes do Sistema Nacional de Trânsito, a estes cabendo, no âmbito das respectivas competências, adotar as medidas destinadas a assegurar esse direito.

§ 3°: Os órgãos e entidades componentes do Sistema Nacional de Trânsito respondem, no âmbito das respectivas competências, objetivamente, por danos causados aos cidadãos em virtude de ação, omissão ou erro na execução e manutenção de programas, projetos e serviços que garantam o exercício do direito do trânsito seguro.

§ 5°: Os órgãos e entidades de trânsito pertencentes ao Sistema Nacional de Trânsito darão prioridade em suas ações à defesa da vida, nela incluída a preservação da saúde e do meio ambiente.”

Ao lermos o que a Lei classifica como sendo o trânsito percebemos como o espaço público tem sido direcionado somente um tipo de transporte: o individual motorizado e poluente. O resultado é a situação epidêmica a qual somos obrigados a enfrentar. É chegada a hora da mudança!

A “Bicicletada Nacional” então proporcionará além de um maior alcance de divulgação do evento Rio + 20, tanto pelos contatos interpessoais dos ciclistas durante o caminho, quanto pela repercussão nas mídias locais, a promoção junto a população da utilização da bicicleta como veículo sustentável e saudável, demostrando assim que o transporte por tração humana pode ser sim uma das soluções urbanas de hoje. Chamando a atenção das autoridades para que invistam em soluções, oferecendo infra-estrutura adequada, cumprimento das leis que, ao final, se reverterá em bem comum a toda a sociedade. Soluções limpas e verdes, seguindo a tendência mundial, livres de fontes naturais limitadas e “ecologicamente inadequadas”.

Público-alvo:
Toda a sociedade visando a difusão do uso da bicicleta e o respeito às leis de trânsito em todo o País e, em especial, cidadãos de diversos pontos do país, sendo sensíveis à causa da mobilidade e do desenvolvimento sustentável.

Ação, plano e custos:
Refazer o logo
Montar um site para melhor comunicação entre as pessoas e divulgação do evento
Uma página no twitter
Procurar patrocínio e apoios para realização do evento
Planejamento de mídia e divulgação
Definir percursos que serão eixos e pensar na logística como comida, hospedagem e etc (em conjunto com o núcleo de cada estado, criado no facebook)
Pensar em deixar um legado do evento, entre as ideias estão: panfleto com benefícios da bicicleta para saúde
Montar um live streaming que acompanhe as pessoas saindo de seus diversos estados e chegando ao Rio de Janeiro.
Realização de um documentário
Realização de oficinas e atividades nas cidades por onde a BICICLETADA passar

LINKS DOS GRUPOS DA BICICLETADA NO FACEBOOK