Pular para o conteúdo principal

III CNPM – Por que precisamos redobrar a atenção em defesa dos direitos das mulheres

Nesta segunda-feira, dia 12, em Brasília, será aberta a III Conferência Nacional de Políticas para Mulheres (CNPM), após a realização de dezenas de conferências municipais e estaduais, em todo o país, desde julho deste ano. Para a Articulação de Mulheres Brasileiras, uma conferência neste momento exige uma atenção redobrada por parte de todas as defensoras dos direitos das mulheres. Isso porque, como acontece a cada início de governo, as políticas públicas para mulheres ficam sob risco.

A avaliação é de Silvia Camurça, socióloga, educadora do SOS Corpo e integrante da coordenação nacional da AMB. Para ela, o movimento de mulheres tem lidado com esta situação há muitos governos. “Não é uma novidade e chega a ser uma característica de uma racionalidade tecnocrática federal, na qual prevalece a visão que é necessário cortar orçamento das áreas consideradas como não estratégicas, principalmente políticas para mulheres e políticas para igualdade racial.

Essa racionalidade costuma se sustentar apontando entre as necessidades mais estratégicas as construções de estradas e outras obras, por exemplo, em detrimento da infraestrutura social, como as creches.

Um segundo fator que pesa no primeiro período dos governos federais, nos últimos 20 anos, é uma perspectiva de política pública na qual prevalece a ideia que o Estado brasileiro deve cuidar das famílias. Para a socióloga feminista, as famílias devem ser consideradas sujeitos de direitos, assim como as mulheres, ou negras e negros. Cuidar das famílias sem reconhecer que nas famílias existem desigualdades para as mulheres, sobretudo para as mulheres negras, é deixar encoberta uma série de problemas que afetam metade da população.

Além disso, é preciso levar em conta que muitas mulheres são chefes de família no Brasil e que mesmo a implementação de políticas para famílias da classe trabalhadora, em suas distintas configurações, é uma conquista recente, a exemplo do direito à aposentadoria rural. Então, o momento exige de todas nós, ressalta Silvia, uma atenção a mais nas proposições da III Conferência, para assegurar a perspectiva feminista do direito das mulheres a ter direitos.

Na CNPM, as integrantes da Articulação pretendem reafirmar a “Grita Geral” em defesa dos Ministérios da Mulher (SPM) e da Igualdade Racial (Seppir), incidindo para não perder nada do que foi conquistado nos últimos anos.

Lançamento

A AMB lançará e distribuirá, durante a III CNPM, a publicação Articulando as Luta Feminista nas Políticas Públicas, cujo conteúdo contextualiza a situação das mulheres e das políticas públicas neste âmbito, além de apresentar um conjunto de propostas prioritárias para cada eixo do Plano Nacional (PNPM). Com esse material e outros documentos, a publicação pretende ampliar a divulgação dos sentidos do feminismo característico da AMB.

Para baixar a publicação, clique aqui. http://cabobranco.com.br/articulacao/?p=665

Postagens mais visitadas deste blog

Ata de Homologação de candidatura da chapa "TODA LUTA"

Edital da Eleição para o Diretório Central dos Estudantes José Silton Pinheiro

Universidade Federal do Rio Grande do Norte Diretório Central dos Estudantes da UFRN – José Silton Pinheiro Comissão Eleitoral
EDITAL
A Comissão Eleitoral, autônoma, eleita em CEB, convocado e realizado no Diretório Central dos Estudantes – (DCE UFRN), realizado no último dia quatro de abril de dois mil e dezessete, no uso de suas atribuições legais e prerrogativas outorgadas em CEB, RESOLVE:
Capítulo I: Da Comissão Eleitoral, sua composição e competências
Art. 1º - Informar da sua composição eleita em CEB supracitado:
I.Rafael Leite da Silva Bune (Pedagogia); II.Gustavo Rodrigues da Costa (Gestão de Políticas Públicas); III.Paula Lays de Lima e Silva (Direito);

HOMOLOGAÇÃO CHAPAS DE DELEGADOS AO 55 CONUNE

A Comissão Eleitoral para o processo de eleição dos e das delegados/das da UFRN ao 55º CONUNE, devidamente instituída pela Coordenação desta entidade, faz saber as chapas homologadas para o processo de campanha. Sendo elas:

CHAPA 1 - "ENFRENTE"
CHAPA 2 - "OCUPAR E RECONQUISTAR A UNE"
CHAPA 3 - "VAI LUTAR OU VAI TEMER?"

     Vale salientar que devido ao grande volume de inscritos para cada chapa, esta Comissão está compilando todos os nomes homologados de cada chapa, estes serão publicizados nesta sexta-feira(26/05/2017).
     Sem mais para o momento, autorizamos o início da campanha eleitoral conforme o Edital deste processo.


COMISSÃO ELEITORAL - DCE UFRN - 55º CONUNE