terça-feira, 6 de setembro de 2011

CINE AMBIENTAL EXIBE FILME DE ARQUITETO QUE CONSTROI CASAS COM LIXO

A partir do mês de Setembro o Cine Ambiental da Sala Verde UFRN passa a ter duas sessões por mês. Antes da cada sessão serão exibidos curtas-metragem e campanhas educativas, após a exibição os participantes são convidados a bater um papo sobre as questões levantadas durante o filme.


O cine ambiental é um projeto realizado pela sala verde UFRN e visa contribuir com o processo de construção de valores culturais comprometidos com a qualidade ambiental, além do fortalecimento dos processos não formais e informais de educação ambiental. Tem o papel de sensibilizador/mobilizador, ampliando o espaço do diálogo sobre a complexidade das questões ambientais da contemporaneidade, da forma mais permanente possível com a comunidade acadêmica e sociedade em geral.

Na primeira quinzena de Setembro será exibido o filme “Guerreiro do Lixo” que conta a história do arquiteto norte americano Mike Raynolds que desde a década de 70, constrói no Novo México “casas do futuro” feitas de materiais que normalmente vão para o lixo. As casas são baseadas em modelos auto-suficientes, conhecidos como Earthships (navios Terra Biotectura) que utilizam energia geotérmica, coletam e reciclam água da chuva, pneus cheios de terra, latas, garrafas de vidro e plástico.

Data: 09 de Setembro de 2011
Hora: 15h
Local: Auditório do Centro de Tecnologia da UFRN

NEM TUDO SÃO FLORES
Mike Raynolds é considerado um grande humanista que traz consigo soluções para problemas que o mundo enfrenta hoje. Porém seu trabalho foi contestado várias vezes pelas associações de arquitetos e pelas leis que estabelecem padrões de arquitetura dos EUA e muitas das suas construções foram interditadas por não terem instalações de água quente, por exemplo, e, como consequência, também tiraram sua licença de arquiteto.

O TRABALHO CONTINUA
No início de 2005, Reynolds e sua equipe foram para a ilha de Nicobar, na tentativa de ajudar aqueles atingidos por um tsunami, a ilha acabava de ser devastada e não possuía infraestrutura. Raynolds devolve esperança à população reunindo forças e destroços deixados pela calamidade para reconstruir o local.

Hoje já existem mais de 1.000 “navios-terra” no estado do Novo México, nos EUA. Centenas de outros “navios-terra” estão sendo construídos nos EUA, na Escócia, na França, na Espanha e até na Sibéria. Em 2007, a cidade de Brigthon, na Inglaterra, concedeu licenças para a construção de 16 “navios terra”.

A Sala Verde integra o Programa de Educação Ambiental da UFRN, desenvolvido pela Diretoria de Meio Ambiente da Superintendência de Infraestrutura
Mais informações: Sala Verde - Diretoria de Meio Ambiente
Fone: 3215-3162 Ramal: 232
Twitter: @Sala_Verde_UFRN