terça-feira, 29 de junho de 2010

poema/processo

A Galeria Conviv’art/ Núcleo de Arte e Cultura da UFRN está com a exposição Emanações: Pinturas e Desenhos, de Jota Medeiros, aberta ao público até o dia 16 de julho.

A exposição do artista plástico Jota Medeiros (Belém, 1958), um dos mais importantes poetas visuais brasileiros, dotado de grande intelecto, conta com quinze obras e está disponível para visitação de segunda a sexta, das 9h às 17h.

Jota Medeiros é formado em Educação Artística pela Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN) e foi militante do movimento Poema Processo. Um movimento artístico vanguardista brasileiro que pretendia inovar ao propor um desmonte nas formas estabelecidas de criação de um poema, e foi lançado simultaneamente em Natal e no Rio de Janeiro formalmente, em dezembro de 1967 e encerrado com o Manifesto de Parada Tática em 1972.

Jota é autor do livro/poema Progressão, editado pela Stempelplates, de Amsterdã, na Holanda, em 1978, e Geração Alternativa, pela editora Amarela/PROFINC, Natal-RN, no ano de 1997, entre outros trabalhos. Foi editor de Contexto, suplemento especial do jornal A República, no final da década de 1970. Organizou várias exposições internacionais de poesia visual em Natal, e participou como artista convidado do MAM da Bahia e do Brazilian Northeast Festival of Contemporary Art, realizado em Nova Iorque em 1996.

“É a poesia que desaliena, que funda a desalienção, que estabelece a relação
inteira do homem consigo próprio, com os outros, e com a vida,
com o mundo e com as coisas.
E onde não existir essa relação primordial limpa e justa,
essa busca de uma relação limpa e justa,
essa verdade das coisas, nunca a revolução será real.
(…) Compete à poesia, que é por sua natureza liberdade e libertação
inspirar e profetizar todos os caminhos da desalienação.”
(Andersen, 1977)



para saber mais sobre o movimento poema/processo acesse http://www.poemaprocesso.com/
para ler entrevista com o Jota Medeiros clique aqui