sexta-feira, 4 de maio de 2012

Congresso pressiona por aumento da bolsa de pesquisa

Pressionar pelo aumento das bolsas de pesquisa no país, sem reajuste há quase quatro anos, o 23º Congresso Nacional de Pós-Graduandos está mobilizando estudantes da pós-graduação em todas as atividades do evento, que começou na quinta (3) e vai até o domingo (6). Para a presidente Elisangela Lizardo, da Associação Nacional de Pós-Graduandos (ANPG), que promove o congresso, “sem a valorização dos pós-graduandos o desenvolvimento da ciência no Brasil não se efetivará plenamente”.

"O congresso, além de reunir e discutir os rumos da Pesquisa, Ciência e Tecnologia, também é um espaço para os cientistas botarem a boca no trombone e contar qual é a realidade do pesquisador brasileiro hoje", completou Elisangela. Atualmente, quem quiser se dedicar à pesquisa acadêmica recebe uma bolsa de R$ 1.200 (para mestrado) e R$ 1.800 (doutorado).

A presidente da ANPG, que mantém uma forte campanha pelo aumento das bolsas de pesquisa, reforça que o reajuste das bolsas permeia todas as discussões do evento e promove questionamentos sobre quais os desafios da pesquisa acadêmica brasileira.


Nesta sexta-feira (4), um dos destaques da programação é justamente um debate, às 09h30, sobre "Pesquisa e Pós-graduação: desafios para a construção de uma universidade sem fronteiras", com a participação de Glaucius Oliva, presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), e Gustavo Balduino, da Associação Nacional dos Dirigentes das Instituições Federais de Ensino Superior (ANDIFES).


Até o final do congresso, estima-se que cerca de mil pesquisadores passarão pela Universiade Federal de São Paulo (Unifesp), onde ocorre.